Para começarmos, não tem como falarmos de TI (Tecnologia da Informação), sem antes tratarmos do termo “Informática”, que como o próprio nome sugere, ele é a junção de duas palavrinhas, (informação + automática), que poderíamos resumir como qualquer meio que trate informações de maneira automática. E para isso ocorrer, uma série de fatores se fazem necessários, são eles:

Equipamentos > Parte(s) física(s) que será(ão) responsável(is) pelo armazenamento, processamento e saída da informação, como por exemplo, TV, Hard Disk e Monitor.

Lógica > Conjunto de programas que se comunicarão com a parte física para realização das atividades programadas.

Falando de maneira mais técnica, os equipamentos são conhecidos como Hardwares, ou seja, é todo acessório da informação no qual podemos pegar, como, mouse, teclado e celular por exemplo, e a parte lógica é o oposto, o que não conseguimos pegar, tipo a plataforma EAD do SENAC, o Pacote OFFICE 365 que é composto por vários programas como editor de texto, slides e planilhas eletrônicas entre outros programas.

Um necessariamente necessita do outro para o correto processamento das informações. Com a junção dessas duas partes, formamos o famoso computador, que é o seu celular, a sua TV, até os carros modernos e linhas inteiras de metrô, podem ser considerados computadores, pois estão lotados de tecnologia e muitos são totalmente autônomos, ou seja, não precisa da interferência humana para  se locomover entre determinados locais, um exemplo disso é a linha amarela do metrô de São Paulo, que funciona de maneira autônoma, (sem maquinistas), ela é a linha de metrô mais moderna da América Latina. Mas, afinal, o que é TI, qual sua lógica e quando surgiu? Iremos responder essas três perguntas de trás pra frente, vamos lá:

Imagem de um ábaco (foto sem direitos autorais tirada do site pixabay)

Quando surgiu a Tecnologia da Informação?

Na sua época de escola, você já deve ter utilizado um ábaco, ele é considerado por muitos o 1° computador do mundo, datado de 2 mil anos, antes de Cristo, porém, falaremos mais sobre os computadores digitais e a internet, que tiveram seu surgimento em meio a 2° guerra mundial e foram aperfeiçoados com maior afinco durante a guerra fria, entre EUA e União Soviética.

Naquela época, após a queda do eixo (aliança militar entre Alemanha, Itália e Japão), duas superpotências se mantiveram de pé, os Estados Unidos da América e a União Soviética, daí se deu início a guerra fria, que não foi uma guerra com tiros e mortes e sim uma guerra psicológica, baseada em tecnologia e espionagem. A União Soviética era muito mais avançada tecnologicamente do que os Americanos, foram eles que lançaram o primeiro satélite artificial, o primeiro animal para o espaço entre outros grandes feitos e como ambas possuíam armamento nuclear, o mundo vivia em pânico com medo de uma nova guerra.

O sentimento nos Estados Unidos não era diferente, por volta da década de 60, o atual presidente americano Dwight D. Eisenhower, criou a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency), uma de suas principais funções era a pesquisa e desenvolvimento de tecnologia militar, porém, para se desenvolver uma tecnologia é necessário ter muitos dados e informações, para poder chegar ao resultado final, essas informações eram armazenados em enormes computadores, mas não computadores como conhecemos hoje e sim computadores do tamanho de uma casa. E com receio de um possível bombardeamento a alguma dessas bases militares e todos as informações serem perdidas, a DARPA, começou a trabalhar na criação de uma rede, que conectaria esses computadores e em caso de um ser destruído, as informações estariam seguras em outro, daí surgiu a ARPANET, onde ao passar dos anos, foi mudando de nome até ter o nome atual, que todos nós amamos, a internet.

Qual a lógica do processamento usado na tecnologia da Informação?

O processamento de dados, se baseia em 3 principais categorias que são subdivididas, são elas, entrada, processamento e saída.

Entrada é o meio que o computador irá receber a informação, processamento é a etapa que ele decodifica, entende e trabalha a informação e saída é a entrega dela para o objetivo final.

Vou dar como exemplo, enviar uma simples mensagem pelo WhatsApp, podemos dizer que quando você digita uma palavra, esse é o momento de entrada de informação, onde o seu celular está recebendo a informação que você está digitando, ele vai processar essa informação e coloca em sua tela, antes mesmo de enviar você já vê, ou seja a informação saiu, o ato de enviar, a mesma coisa, você clica no botão de envio, o celular recebe o comando, processa e envia, e automaticamente você recebe a informação de que foi enviado e a outra pessoa (se estiver devidamente conectada a internet), também recebeu, obviamente isso ocorre em frações de segundos. Essas etapas de entrada, processamento e saída, são fundamentais e dentre elas existem outros processos também, como armazenamento de dados por exemplo.

Mas, afinal o que é TI?

Um bom conceito, que encontrei na comunidade colaborativa educacional livre (Wikipédia), diz o seguinte, “Tecnologia da Informação (TI) é um conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação que visam a produção, o armazenamento, a transmissão, o acesso, a segurança e o uso das informações.”